Aranhas
AranhasAS ARANHAS

Por:
José Carlos - 2/12/2002 Aranha Armadeira (Phoneutria)

A aranha armadeira é uma espécie bastante agressiva. São aranhas que medem cerca de 3,5cm de comprimento com pernas que podem medir até 5 cm. Sua atividade é maior ao entardecer e à noite. Esta espécie não tece teia e é comumente encontrada em árvores, principalmente bananeiras e folhagens. É comum ser encontrada no interior de residências. A picada resulta em dor violenta no local que se irradia pela região atingida. A vítima apresenta tonturas, queda de pressão, vômito, sua muito e pode ter espasmos. Caso ocorra picada por esta espécie de aranha, a vítima deve procurar um hospital para aplicação de soro antiaracnídico e aplicação de anestésico ao redor da picada.

Aranha de Jardim ou Tarântula (Lycosa)

As tarântulas são pouco agressivas e têm hábitos diurnos. Existem cerca de 100 espécies no Brasil. São facilmente encontradas em gramados de jardins, no campo, próximo aos riachos e rios e até mesmo nas residências. Esta espécie de aranha não faz teia. A picada é dolorida, mas, normalmente, não evolui para casos mais graves. Em algumas pessoas pode ocorrer necrose local, porém não há necessidade de aplicação de soro antiaracnídeo. Na dúvida, colete a aranha e leve ao hospital ou posto de saúde.


Viúva-Negra (Latrodectus)


É uma das aranhas mais comentadas em todo o mundo. No Brasil ocorrem somente 3 espécies de Latrodectus e os casos de acidente são raros. São aranhas muito pequenas; onde a fêmea atinge de 8 a 12 mm de comprimento. São totalmente negras com uma mancha vermelha em forma de ampulheta no abdômen. São sedentárias, constróem teias irregulares entrelaçadas com folhas secas. Pode-se encontrar uma pequena quantidade de viúvas-negras com teias próximas umas das outras. No entanto, cada uma possui sua própria teia.
A picada ocasiona dor muito aguda que se irradia por todo o membro ou local atingido. A vítima fica irritada, apresenta tremores, contrações, rigidez abdominal, delírio, alucinações, entre outros sintomas. Já foram registrados casos fatais em crianças. A pessoa picada deve ser levada imediatamente para o hospital para soroterapia. Se possível coletar a aranha para identificação.


Aranha Marrom (Loxosceles)

A aranha marrom é uma espécie pouco agressiva e que possui hábitos noturnos. Seu tamanho é pequeno, cerca de 1 cm de comprimento, passando muitas vezes despercebidas. No Brasil são encontradas dentro de residências de várias cidades.
A aranha marrom constrói uma teia irregular e se esconde sob telhas, pilhas de tijolos, sob quadros, dentro de roupas deixadas penduradas atrás de portas e dentro de sapatos. O acidente ocorre quando a pessoa pressiona a aranha. No ato da picada quase não se sente dor, no entanto, após 12 a 24 horas o local atingido apresenta inchaço e dor, como se fosse dor de queimadura. A vítima então apresenta mal estar e náuseas. Pode ocorrer febre e o local da picada apresentar-se com necrose. Acidentes com crianças podem ser fatais. Nos casos graves a urina fica com cor de coca-cola.

Sintomas: na hora da picada, dor pequena e despercebida; após 12 a 24 Hs, dor local com inchaço, mal-estar geral, náuseas, e, às vezes, febre. Pode causar necrose local.
Caso grave: urina cor de coca-cola. Ocorrendo acidentes com a aranha marrom, colete a aranha e dirigi-se ao hospital ou posto de saúde pois é necessário receber soro antiaracnídeo. A vacina anti-tetânica também é recomendada.


Aranhas - biologia e comportamento

As aranhas são o maior grupo dos aracnídeos, grupo que também compreende os ácaros, carrapatos e escorpiões. Elas vivem em quase todos os lugares: sobre o solo, sob pedras, dentro de frestas, equipamentos, no meio da grama e em ramos de árvores. As aranhas entram dentro de residências acidentalmente pois são levadas em caixas e objetos vindos da área externa. Dentro das residências elas se escondem dentro de caixas, roupas ou móveis. Nem todas as aranhas constróem teias e as que as fazem utilizam deste artifício para caçar insetos. As aranhas que não tecem teias, ou vivem em tocas que são tecidas com seda, ou não tecem qualquer tipo de abrigo.
As aranhas apresentam quatro pares de pernas e o corpo dividido em duas partes, o prossoma, também chamado de cefalotórax e o opistossoma, também conhecido por abdômen. Na cabeça existe um par de quelíceras, membro que possui uma abertura por onde passa o veneno ou peçonha. Mas nem todas as aranhas conseguem rasgar a pele do homem para introduzir o veneno. O veneno é produzido para paralisar ou matar a presa. No abdômen das aranhas estão localizadas as fiandeiras, que são glândulas que segregam a seda de que se utilizam para tecer a teia. A maioria das espécies possui oito olhos simples, algumas podem ter menos e outras nove olhos. O número de olhos e sua disposição são características importantes para a identificação das diferentes famílias de aranhas.
Podemos dividir as aranhas em dois grandes grupos de acordo com a posição das quelíceras e a direção que os ferrões se abrem e fecham: as da subordem Labidognatha, "aranhas verdadeiras", picam de fora para dentro, isto é, picam horizontalmente. Estas aranhas são as mais perigosas e ocasionam acidentes mais graves. As aranhas da subordem Ortognatha são as caranguejeiras e picam horizontalmente, isto é, de cima para baixo. Estas últimas não são consideradas aranhas perigosas.

Todas as aranhas são carnívoras e alimentam-se:

Principalmente de insetos. As aranhas caranguejeiras, cujas espécies podem atingir tamanhos muito grandes são bastante assustadoras. Elas são exímias caçadoras podendo,inclusive, se alimentar de pequenos roedores. Por apresentarem quelíceras muito grandes, sua picada é bastante dolorida, porém não há necessidade de aplicação de soro antiaracnídeo. Caso ocorra acidentes com este tipo de aranha a vítima deve procurar um posto de saúde ou hospital para medicação.
A fêmea deposita os ovos dentro de uma ooteca, que é um saco de seda onde ficam abrigados os ovos. A ooteca é depositada na teia, ou pode ser atada a folhas ou ramos de plantas ou ainda pode ser carregada pela fêmea até a eclosão dos filhotes. Os jovens são muito semelhantes aos adultos e quase sempre são canibais. Algumas espécies de aranhas podem se alimentar de pequenos vertebrados.

A seguir estão listadas as aranhas que causam acidentes graves:

- Aranha Armadeira (Phoneutria)
- Viúva-Negra (Latrodectus)
- Aranha de jardim ou tarântula (Lycosa)
- Aranha Marrom (Loxosceles)

Matéria:Instituto Butantan